quarta-feira, 16 de abril de 2014

Resenha: Caos e Devastação Fest

Postado Por Thalyson Barboza As 11:16 Sem Comentários
Escrito por: Thalyson Barboza

Sábado, dia doze de abril. E aqui, eu vos digo, esse dia vai ficar marcado na história do underground de Brasília (mãe diná feelings). Foi o primeiro show organizado pela equipe da hail chaos (que também conta com o ser que vós escreve nesse momento), e este, será o inicio de uma serie de shows que vão abalar o bangu no Distrito Federal!

Pra começar, o Country Rock Brasília é de cair o cu da bunda! O espaço é muito, mas muito bom! A localização também é ótima, fácil acesso, super tranquilo chegar lá. Eu acho engraçado, nego pra ver show de banda gringa pseudo estrelinha, vai até na porta do Acre, perto de onde o Metallica perdeu o thrash. Mas reclama de pegar um metrô e um micro-ônibus pra curtir um show underground. E esse mesmo tipo de filho da puta, é o zé ong que fica reclamando que não tem rolê em Brasília, que a cena ta morta!
Deixemos as alfinetadas de lado, e vamos ao evento. Depois de um dia de muita chuva no Guará, (São Pedro queria mijar na cabeça dos bangers e foder com o nosso show, mas, santo cristão não tem vez não), eis que as dezenove horas o clima se tranquiliza. Até os exus climáticos já sabiam que o rolê ia ser do caralho!
Com início entre umas dez, dez e meia, a primeira banda a se apresentar foi a Neurotóxico, e até eu me surpreendi com a qualidade do som que os caras fazem. A meu ver, é mais uma banda cheia de futuro, dentro e fora de bsb. Enquanto eles destruíam o bar com muito Death Metal, o público retribuía, curtindo lá na frente. Abertura digna de elogios!
Pouco tempo depois, quem se apresenta são os "whey protein" da Pesticide. Banda de grande conhecimento aqui na nossa cena, já tocou em vários festivais de renome. Mosh, curtição, mas, eis que um pequeno acontecimento, meio que... Diminui a frequência do show. Como desgraça pouca é bobagem, uma pequena briga entre dois caras lá, tirou o público (curiosidade é uma porra de um mal humano) da sintonia. Só vi a galera saindo do bar pra curiar a expulsão do cara que criou confusão, e depois, dos poucos que voltaram pra curtir com a Pesticide, valorizaram o som que ainda rolava.
E pra fechar com toda a dignidade que o evento merecia, a Black Skull preparou um set list com várias músicas do início de sua carreira. Botou o público pra bater cabeça e moshear. Mesmo com todo o cansaço, os bangers que ali se encontravam, estiveram presentes até o ultimo riff.
Apesar dos apesares, não tem como reclamar. Local, acústica, bandas, público. Tudo de qualidade! E assim, esperamos que sejam os próximos shows. E você ai, que não foi e ficou com uma pontinha de inveja, se ligue nas páginas da Hail Chaos e UndergrounDF. Ainda vai rolar, muita, mas muita coisa!

Fotos Do Evento











Seja o Primeiro a Comentar

Escreva Seu Comentário